Da legislação que pune MULHERES SEM MARIDO se usufruírem de Procriação Medicamente Assistida

O chefe ao pequeno-almoço… o tal que diz que tem muita pena de só ter conhecido um gay na vida e de não conhecer lésbicas…

Ele bebe um golo de café e abre o Público na página com a notícia “Estado não pode proibir procriação assistida a casais homossexuais

Diz a notícia assim:

“O interesse pessoal em procriar, em gerar descendência, em constituir família, em ser mãe ou pai de um ser biologicamente relacionado, é um interesse natural (…). Se nessas circunstâncias o Estado não apenas recusa como também proíbe o acesso às técnicas de PMA, então essa recusa, e sobretudo a proibição, é sentida como uma afectação gravosa dos planos de vida próprios que só não será eticamente condenável se o Estado a puder justificar, fundamentar, com razões de peso”, argumenta o CNECV.

Exclama o chefe:

– “Finalmente o Conselho Nacional de Ética faz alguma coisa de jeito!”

Ouvi, engoli em seco e calei… as várias questões que tinha para lhe colocar:

– Acha mesmo que toda a gente deve poder ter acesso às técnicas de Procriação Medicamente Assistida?

– Todas as pessoas mesmo?

– E gratuitamente também?

– E o que é vai fazer para ajudar a mudar isto?

– Se eu me casar com uma miuda gira vai ao meu casamento?

– E se ela não for gira… do seu ponto de vista, vai na mesma…?

– …

O CNEVC insinua que as pessoas LGBT só deveriam ter direito ao acesso às técnicas de Procriação Medicamente Assistida no privado e eu continuo muito desconfiada das “boas” intenções dos membros do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida… Muito mesmo.

Que democracia é esta, na qual as mulheres que não têm autorização dos seus maridos [não se pense que podem ter autorização das esposas, porque não podem!!] não têm os mesmos direitos que as que têm autorização e aliás se o fizerem são punidas??

 

P.S: O título original da notícia foi lamentavelmente alterado para:
“Legislador deve dar “razões de peso” para proibir
procriação assistida a casais homossexuais”…. 
Estou mesmo muito desconfiada destas “boas” intenções
do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida…

 
 
– 

2 thoughts on “Da legislação que pune MULHERES SEM MARIDO se usufruírem de Procriação Medicamente Assistida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s