Não acredites no que me ouves…

acredita apenas no que me Sentes…

Eu nunca deixo de pôr em causa,
mesmo quando em momentos raros digo que já “acabei de pensar”
no que quer que seja…

é… que nunca deixo de pensar.
Nunca tenho a certeza absoluta de nada.
Isso não existe no dialecto do Pensamento.

Se percebes que eu tenha dito ou mostrado a minha certeza absoluta,
não acredites no que vês, nem no que ouves.
Estás-te a iludir.

(Re)Pensar é a definição de mim.
Não posso fingir que não habito a Vida assim.
Faz-me odiosa, faz-me charmosa,
depende sempre do ponto de vista de quem observa,
de quem cohabita comigo o Viver.

Habito PRESA nos pensamentos, nas reflexões…
Se os tenho inteligentes, também os tenho – muitos – bem “estragados”.

Quem me gosta não tem outra solução
senão aceitar essa minha caracteristica encrustada na alma.

Se me gostas, gosta.
Se não,
vai e não olhes para trás.

Eu Sou o que Penso.
Esforço-me para ser o que Sinto.
Viro-me do avesso para mostrá-lo e dizê-lo.

Não te iludas: esses são os meus objectivos de Vida.
Não te iludas: não sei se alguma vez chegarei à Meta…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s