Do objectivo de não cumprir O Objectivo que afinal é para cumprir

Ando há várias semanas a remoer isto, a remoer, a remoer, a pensar na forma de me escapar a mim própria… Quero fazer tudo menos isto… Tenho a mente recheada de objectivos. Não ter este  era por si só um dos objectivo…

Uma e outra vez, como que disfarçadamente a insistir, ela enviou-me os documentos para ir à faculdade entregá-los. “Chatou”, até telefonou… Quase que lhe perguntei se já agora ela também não quereria escrever o resumo e a bibliografia… ou a tese…

Arrastei-me até às últimas horas.

Sentei-me à frente dele: simpático. Cabisbaixa passei-lhe o papel assinado: estou tão contrariada… estou mesmo. Sorriu-me. Perguntou se eu tinha uma pen drive. Sem que lhe pedisse copiou lá para dentro os documentos académicos que tenho de entregar para me cumprir. Sorriu-me outra vez: não se esqueça que precisa de orientadores… Eu sorri e pensei: sim, eu sei, elas já perceberam que nem vale a pena perguntar nada sobre o assunto…

Parece que toda a gente está empenhada em que me cumpra nisto… Ninguém quer ler os papers e contar-me o que lá dizem, discuti-los comigo? E já agora… e levarem-me ao colo até à discussão, não?

Se até os desconhecidos querem que eu seja mestra, não posso mais escapar… Mas vou cumprir os restantes objectivos muito específicos que só dependem de mim. Senão enlouqueço…

Sabem o que é? Não pertenço ali. Não pertenço mais ali. Talvez deva pensar seriamente em tornar-me Bióloga mesmo de verdade, daquelas que passa o dia agarradinha à bancada a conversar com os tubos de ensaio e com os statisticas da vida, a tagarelar com as médias, os desvios-padrão, as t-student, os quis-quadrado, as hipóteses nulas… ou talvez não… esta coisa da bioinformática é aterradora.

P.S. Apetece-me chorar e não consigo.
Eu tinha como objectivo não cumprir este objectivo.
Agora já não tenho.
Que venha um rio de lágrimas
para eu começar isto de uma vez…

Ia eu a meio deste post quando a minha orientadora me disse que não tenho lugar
no curso de experimentação animal que me dava jeito ir fazer
para aprender mais sobre a realidade.
Não sou considerada prioritária e há uma lista de espera infindável.

Escrevi-lhe dizendo que me sentia imensamente grata a DeusA
por não terem lugar para mim.
DeusA sabe que eu teria um chilique seguido de dois fanicos à primeira “facada”…
Em breve descobrirei das minhas resistências estomacais quando ela me passar a teoria.

A parte de ser bióloga a sério com experiências em bichos está portanto,
completamente posta de parte…
Sendo que é para ter um relacionamento próximo com a bancada,
sobram-me as plantas, os fungos e os micróbios… 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s