Às vezes o Silêncio entranha-se tanto

 

que mesmo numa exposição dolorosamente ruidosa a ausência de som apodera-se de nós e o ruído dá lugar apenas a todas as memórias de um objecto, como que tendo um deslumbrante poder de apagar todos os gritos.

Se gosto da exposição? NÃO!

Mas estou a adorar a experiência de me apropriar assim dos cenários e criar nele o meu próprio espaço de Silêncio.

Não O tenho elogiado tanto como preciso.

 

P.S. Hoje é um bom dia para O namorar.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s